Guia sobre Andy Warhol: 12 factos importantes que todo fãs devem saber

Guia sobre Andy Warhol: 12 factos importantes que todo fãs devem saber | P55 Magazine | p55-art-auctions

Fascinado por celebridades, Andy Warhol construiu uma imagem de si ao longo de décadas. Politicamente indiferente e instantaneamente bem-sucedido são alguns dos mitos criados à medida que a lenda cresceu. Aqui vamos desmistificar algumas das principais ideias sobre Andy Warhol. 

1.O seu sucesso não foi imediato

Quando Irving Blum organizou pela a primeira exposição com trabalho de Andy Warhol, repletos de telas da sopa de Campbell nas prateleiras do supermercado na Galeria Ferus, nem todos os espectadores adoraram. Um crítico de arte escreveu sobre Warhol: "Este jovem 'artista' é um maluco de cabeça ou um charlatão de cabeça dura", e Willem de Kooning chamou-o de "assassino de beleza". O primeiro show de Andy Warhol foi considerado um fracasso, mas não demorou muito para que todos falassem sobre esse misterioso mestre do pop.

2.Político através da sua arte

Embora muitas vezes não gostasse de dar a sua opinião em público, oferecendo respostas simples e rápidas em entrevistas ou até enviar outras pessoas no seu lugar, Andy Warhol utilizou as suas peças de arte como meio de comunicação. Além de revolucionar o processo de pintura ao retratar a contraculturas, também fez algumas declarações políticas por meio da sua arte, exemplo disso é Race Riots, peça que denunciava a violência usada contra manifestantes de direitos civis, Vote McGovern, tentava demonstrar que Nixon era tão desagradável quanto suas políticas. Há rumores de que o presidente odiava tanto os seus trabalhos que Andy Warhol foi auditado pelo IRS naquele ano e todos os anos posteriormente.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

3.Esteve tecnicamente morto por 1,5 minutos

Quando Valerie Solanas atirou em Andy Warhol em 3 de junho de 1968, a notícia foi publicada em todos os jornais. Quando o artista americano foi levado ao hospital, os médicos perderam a esperança de salvá-lo, declarando-o morto até que o seu amigo Mario Amaya gritou: “Don’t you know who this is? It’s Andy Warhol. He’s famous. And he’s rich. He can afford to pay for an operation. For Christ’s sake, do something” Os médicos voltaram a tentar reanimá-lo e conseguiram, apesar da bala ter penetrado o seu esôfago, fígado, intestinos e vesícula biliar. Coincidentemente, Robert Kennedy foi morto na noite seguinte.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

4. Andy Warhol não era assexual

Andy Warhol é frequentemente retratado como assexual, preferindo observar e retratar as cenas da Factory e os personagens dos seus filmes muitas vezes eróticos, mas sem participar. Esta suposição está errada, no entanto, o ator John Giorno revelou que os dois eram amantes e sabe-se também que Warhol teve um relacionamento de 12 anos com o decorador Jed Johnson. Como Wayne Koestenbaum escreveu: “How gay was Warhol? As gay as you can get.” Aparentemente, para Warhol, “everything is sexual … Movement is sexual. Stillness is sexual. Looking and being looked at are sexual. Time is sexual.”

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

6. Andy Warhol era uma pessoa religiosa

Andy Warhol frequentemente se apropriou de imagens religiosas nas obras como “A Anunciação e Santa Apolônia” e, embora pudesse parecer que o fazia por diversão, com seu valor kitsch, a sua fé era sincera. Frequentava regularmente a igreja na Lexington Avenue, encontrando conforto nos ritos e rituais do catolicismo. Conta-se também que tinha um crucifixo em todas as cômodas de sua casa. Esse apego à religião advém do seu relacionamento próximo com a mãe, com quem viveu até um ano antes dela morrer. Warhol também foi muito influenciado pela morte do seu pai; uma de suas primeiras pinturas, Living Room, que retrata a sala onde o seu corpo foi colocado por três dias, e essa preocupação com a morte e a religião.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

7. A peruca cobria as suas inseguranças

Embora possa parecer uma maneira fácil de criar uma aparência de assinatura, o uso de uma peruca de Warhol foi menos uma declaração e mais um sinal de autoconsciência. Quando era mais jovem, Andy Warhol sofreu de problemas de saúde mental que o levou a perder muito cabelo em várias partes do corpo. Além de cobrir as suas inseguranças, a peruca acabou por se tornar um traço da personagem Andy Warhol. Contudo, nem sempre foi vantajoso, pois muitas pessoas achavam que a peruca era “embaraçosa”. Em 2006, uma das perucas prateadas foi um dos itens vendidos pelo sobrinho de Warhol em leilão, onde foi arrematado por mais de US$ 10.000.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

8. Defendeu a cultura drag e trans

The Factory foi um refúgio para figuras das várias subculturas e minorias, bem como aqueles que desafiam o binário de gênero. Com séries como Ladies And Gentlemen, Warhol trouxe drag queens e pessoas transgênero – como Marsha P Johnson, uma defensora dos direitos gays e trans que desempenhou um papel importante nos motins de Stonewall – para a sua arte e filmes. Andy Warhol também se vestiu de drag num dos seus autorretratos de polaroid.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

9. Colecionava caixas de biscoitos

Talvez não seja surpreendente que o rei do kitsch também tenha uma vasta coleção de caixas de biscoitos. Estes foram vendidos por £250.000 na venda da propriedade Warhol na Sotheby's após sua morte em 1988.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

10. Escreveu um romance

Além da muito citada Filosofia de Andy Warhol, Andy Warhol é conhecido por escrever vários livros – incluindo 25 Cats Named Sam e Wild Raspberries – e até mesmo um romance intitulado A Novel. O livro segue 24 horas na vida de Ondine, um ator que aparecia regularmente nos filmes de Warhol e uma presença constante na The Factory.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART

11. 75% das obras de Warhol são vendidas por mais de US$1 milhão em leilão

Dito isso, a maior parte da obra de Warhol está bem além da marca de US$ 1 milhão. Normalmente, esses lotes consistem em serigrafias impressas em tela, em vez de papel que era muito usado para tamanhos de edição maiores. Muitas obras estão disponíveis em papel e são muito mais acessíveis.

12. A primeira exposição de Warhol numa instituição museologica foi em 1965

55 anos antes da última grande retrospectiva da Tate, e dois anos depois do presidente Kennedy falecer, Andy Warhol desfrutou da sua primeira exposição no Instituto de Arte Contemporânea da Filadélfia. A noite de abertura foi lotada por mais de 1.600 fãs ansiosos para dar uma olhada em Andy Warhol.

Andy Warhol | Magazine | P55.ART


Publicação Mais Antiga Publicação Mais Recente