7 Factos sobre artista portuguesa Paula Rego

7 Factos sobre artista portuguesa Paula Rego

Quem é Paula Rego?
A famosa artista portuguesa Paula Rego nasceu em Lisboa em 26 de Janeiro de 1935, numa família da classe média alta com ideais republicanos, e sob influência das culturas francesa e anglo-saxónica. A sua vida ficou marcada pela infância passada com a avó Gertrudes Fernandes, que lhe contava os contos tradicionais portugueses que continuam a marcar a sua obra. Frequentou a St. Julian's School, em Carcavelos, onde cedo manifestou as suas qualidades artísticas. Aos 16 anos, em 1952, a conselho do pai, anti-salazarista convicto, emigrou para o Reino Unido onde frequentou a Sevenoaks, escola destinada a formar as mulheres jovens para os costumes e comportamentos em sociedade — no dizer de Paula Rego, "uma escola de acabamentos para arranjarmos um marido". A futura pintora abominou a experiência e, foi motivada por uma professora da mesma escola a seguir o seu caminho no campo das artes. Tentou inscrever-se na Chelsea School of Art, em Londres, no que foi contrariada por um amigo do pai e seu tutor, David Phillips, por ter más referências morais da mesma, encaminhando-a para a The Slade School of Fine Art, por a considerar uma opção mais respeitável e capaz de lhe garantir o êxito. Nessa escola, que frequentou de 1952 a 1956, conheceu o artista inglês Victor Willing, com quem viria a casar e teria três filhos (Nick Willing fez para a BBC um documentário sobre a vida e o trabalho da mãe). O casal regressou a Portugal em 1957 e, a partir de 1962, com uma casa no bairro de Camden Town, passaram a viver alternadamente em Portugal e Inglaterra). Lutou e trabalhou, tenazmente, para se impor no panorama artístico, tendo inicialmente, muita dificuldade em vender os seus quadros. Atualmente é uma das pintoras mais famosas em Portugal e internacionalmente. Conheça aqui sete factos sobre Paula Rego.

7 Factos sobre Paula Rego 
1.Graças à Bolsa que lhe foi concedida em 1975 pela Fundação Calouste Gulbenkian fez, de 1976 a 1979, uma pesquisa sobre Contos Populares que classificou como de "contos terríveis", sórdidos e maus, com uma crueldade que não encontrou noutras culturas, concluindo que isto "é a vida. Pessoas que não têm que comer, tornam-se fortes e violentas."

Paula Rego | P55.ART

2. Em 1983, lecionou na Slade, confessando que o fez apenas por necessidade pois, custa-lhe muito dizer quando não gosta de um trabalho, porque isso magoa a pessoa.

3. Todos os quadros de Paula Rego integram figuras representativas de pessoas que conhece ou pessoalmente conheceu, da sua família ou de personagens de obras literárias.

4. A sua obra reflete as suas preocupações com temas sociais, nomeadamente o aborto, a excisão genital feminina, o tráfico humano, a violência doméstica e os maus tratos a crianças, além dos factos da sua própria vida que mais a marcaram.

Paula Rego | P55.ART

5. Jean Eire foi inspirada na obra de Edwin Corley, "O Mar dos Sargaços", onde Paula Rego foi buscar a mulher louca, maltratada pelo marido, que não obstante, o tratou com desvelo quando este precisou dela. Seis litografias da série Jane Eyre (2001-2002) foram usadas em 2005 pela Royal Mail para uma coleção de selos.

Paula Rego | P55.ART

6. Em julho de 2015, o quadro “The Cadet and his Sister" de Paula Rego, de 1988, foi vendido por 1,6 milhões de euros num leilão da Sotheby's.

7. Enquanto trabalha ouve óperas de Verdi, especialmente Rigoletto e La Traviata, de manhã, e fado, depois do almoço (Amália e Camané, por exemplo).

Paula Rego | P55.ART


Publicação Mais Antiga Publicação Mais Recente